Corretagem de imóveis uma carreira promissora, para você?

A corretagem de imóveis como carreira profissional não é para qualquer um. Para obter verdadeiro sucesso na carreira de corretor de imóveis, é preciso ter uma mentalidade particular e habilidades únicas. Quando considerando a corretagem de imóveis como profissão, é preciso estar atento e consciente de alguns fatores chaves, antes de determinar se essa é a carreira correta para você.

Disciplina – Profissões autônomas, (onde você é o seu chefe), exigem muita disciplina. Tratar a carreira de corretagem de imóveis como profissão e não um “hobby” é essencial para o seu sucesso. Por isso para ser um corretor de imóveis você deve ser capaz de elaborar planos e seguir com os compromissos traçados nesse plano.

Gestão de tempo – Organização do seu tempo é chave para o sucesso como corretor de imóveis. Corretores de carreira promissora são aqueles que conseguem distribuir e organizar as obrigações como: marketing, captação, relacionamento com o cliente.

Conhecimento – O mercado imobiliário muda constantemente. Ser um profissional no ramo imobiliário significa estar sempre atualizado dessas mudanças. A profissão de corretor exige muitas horas de estudo e pesquisa.

Atenção aos detalhes – Lidar com formulários, contratos, escrituras, requer persistência, paciência e habilidade de reconhecer e corrigir pequenos erros. O mercado imobiliário é extremamente burocrático, por isso toda atenção e paciência é primordial.

Paciência – Corretagem faz parte da industria de prestação de serviços, onde a paciência é uma característica valiosa. Pense que a aquisição de um imóvel é, para a maioria das pessoas, o maior investimento da vida. Isso torna o estado emocional dos seus clientes vulnerável. É muito importante que o corretor consiga ser emocionalmente estável, capaz de atender as demandas e responder a reclamações com objetividade e profissionalismo.

Remuneração – Corretores de sucesso tem o potencial para alta lucratividade. No entanto, não existe salário fixo pois a sua compensação depende da concretização da venda do imóvel. A renda para corretores pode ser esporádica, por tanto corretores de imóveis devem estar sempre preparados para esse fato.

Se você acredita  preencher todos os requisitos acima com certeza terá uma carreira no mercado imobiliário longa e prospera.

 

O novo cartão postal da região noroeste

Centro de Eventos precisa estar pronto para o Congresso Técnico da Fifa, em 2014

A Folha Noroeste teve acesso a informações sobre o andamento do projeto do maior centro de eventos do mundo, que deve ser construído na região. Recentemente foi realizada com um avião a análise topográfica da área. Um dos problemas identificados por engenheiros é a grande quantidade de minas d’água. A construtora Odebrecht não está cobrando nada pelo pré-projeto. Segundo o Prefeito Gilberto Kassab, Pirituba vai recepcionar a primeira reunião da Fifa antes da abertura da Copa do Mundo de 2014. Até julho devem ser apresentados os investidores. A Escola de Formação de Soldados, na Chácara Paraíso, inaugurada com 120 alunos em 12 de junho de 1984, está com os dias contados. O comando da Polícia Militar já recebeu ordens para localizar outra área que possa abrigar a academia. Uma das possibilidades é o Parque Villas Boas, na Marginal do Rio Tiete, o mesmo acontecendo com a Fundação Casa, antiga Febem. Essa nova sede será construída pela própria construtora Odebrecht. A Avenida Dr. Felipe Pinel, que interliga Pirituba e Jaraguá, não existirá mais. Em seu lugar serão feitos desvios com alças de acesso para o novo empreendimento. A estação Vila Clarisse da CPTM vai dar lugar a uma moderna estação com grande infraestrutura para receber os moradores da região e os usuários do Centro de Eventos. A velha estação será tombada. O Jornal Folha Noroeste, em contato com a diretoria da Cia City, proprietária da maior área envolvida no projeto, está ciente da desapropriação, mas alega que jamais receberam uma notificação que falasse sobre o projeto. A situação do Clube Campestre Jaraguá segue indefinida, mas pelas imagens do projeto e pelas informações colhidas, existe uma grande possibilidade de desapropriação da área.

Mais uma vez a Folha Noroeste buscou informações sobre as obras do Centro de Eventos com o Secretário Municipal do Desenvolvimento Econômico e do Trabalho, Marcos Cintra. Em entrevista exclusiva, ele destaca a atual fase do projeto.

Publicada em: 01/04/2011

Folha Noroeste: Em que pé estão as negociações para a apresentação do projeto do Centro de Eventos em Pirituba? Já existe o projeto?
Marcos Cintra: Existe uma Portaria da Secretaria de Infra-Estrutura Urbana e Obras de número 022/SIURB/2009 solicitando a manifestação de interesse de pessoas jurídicas para a apresentação de projetos e estudos para a construção, operação e manutenção do centro de feiras e eventos na região de Pirituba em área já declarada de utilidade pública através do Decreto 49132/08. A empresa Construtora Norberto Odebrecht foi uma das que se postulou para o desenvolvimento do projeto entregue no final do ano passado. Função de várias questões técnicas e jurídicas este projeto sofreu diversas revisões e sua última versão foi apresentada no final de fevereiro. O projeto foi divulgado na última segunda feira na São Paulo Turismo para diversos promotores de feiras e os representantes da UBRAFE, União Brasileira dos Promotores de Feiras, para que os futuros usuários tenham a possibilidade de opinar sobre os novos pavilhões. O Projeto Básico estará pronto no final de junho para as consultas públicas pertinentes.

Folha Noroeste: Os investidores já estão definidos? Já foram apresentadas garantias para a obra?
Marcos Cintra: A própria Construtora Norberto Odebrecht pela manifestação de interesse é uma das investidoras e empresários de Hotéis e Shoppings Centers vem mostrando vontade em participar, inclusive alguns grupos internacionais. Toda a estruturação financeira e de garantias vai depender do avanço do projeto e de suas necessidades de investimento.

Folha Noroeste: Na última entrevista o sr. Vinculou a viabilidade do projeto apenas com a participação maciça da iniciativa privada. Caso haja necessidade, a Prefeitura pode entrar bancando parte dos recursos?
Marcos Cintra: Não existe no mundo Centro de Convenções e de Exposição privados, todos tem uma estrutura societária mista com participação pública, mesmo porque o grande retorno não vem do negócio e sim indiretamente para os cofres públicos através dos serviços e impostos. Portanto em principio se está imaginando uma Participação Pública Privada (PPP).

Folha Noroeste: Já foram feitas as negociações com a Cia City, proprietária da maior parte do terreno?
Marcos Cintra: A Declaração de Utilidade Pública 49132/08 contempla toda a área do terreno e DESAP, Departamento de Desapropriações, está fazendo a avaliação de todos as áreas e imóveis para as respectivas desapropriações.

Folha Noroeste: Como ficou definida a situação do Clube Campestre Jaraguá, área cuidada e bancada por sócios?

Marcos Cintra: A situação do Clube Campestre Jaraguá dependerá das fases do projeto e das avaliações de DESAP.

Folha Noroeste: O que falta para o projeto decolar?
Marcos Cintra: O projeto já decolou e julho será publicado o Edital de Licitação Pública para os postulantes à realização do negócio.

Folha Noroeste: O Sr. teme pela inviabilidade financeira?
Marcos Cintra: Por ser um projeto modular e multiuso se buscará uma viabilidade financeira para sua realização.

Folha Noroeste: Caso a obra não vá adiante, a prefeitura teme por um prejuízo político?
Marcos Cintra: Antes da realização da licitação pública é prematuro especular sobre o ritmo do projeto.

Colaboração: GA – Caramelo Imóveis.

A IMOBILIÁRIA CARAMELO LTDA., é uma empresa familiar, onde o proprietário atua no seguimento imobiliário a mais de 25 anos em toda a região Noroeste, na qual tenho plena satisfação em contribuir com o sucesso do negócio e atender os nossos clientes e amigos. confira em: www.ga-imoveisonline.com.br

CEF veta moradia em rua de terra

Desde a última sexta-feira, o programa federal não autoriza contratos referentes a imóveis localizados em vias não pavimentadas

A Caixa Econômica Federal (CEF) não vai mais autorizar contratos do Minha Casa Minha Vida para a aquisição de imóveis em ruas de terra. A medida é válida desde a última semana. Apesar de ainda não ter dados de quantas pessoas serão afetadas pela norma, o banco pondera que a maioria dos imóveis que podem ser acessados pelo programa se encontram em vias pavimentadas. Bauru ainda possui cerca de 3 mil quadras de ruas de terra.
O gerente regional de negócios da construção civil da CEF, Olair Ribeiro Filho, explica que os empreendimentos autorizados pelo governo federal junto às construtoras já trazem esse impedimento. “Tanto, que muitas construtoras providenciam a pavimentação das ruas onde os imóveis são construídos”, pondera.

A resolução interna é dirigida aos clientes individuais que procuram o programa Minha Casa Minha Vida. “A decisão é válida para contratos a partir de 11 de fevereiro. As ruas dos imóveis pretendidos precisam ser pavimentadas, independentemente da faixa de renda familiar que o interessado esteja inserido”, explica.

Para o gerente, a medida não trará efeito negativo na procura pelas linhas de financiamento do Minha Casa Minha Vida. “A procura pelo programa está bastante aquecida. E a maioria ainda busca imóveis nos empreendimentos já aprovados. Porém, não vejo grande impacto na busca pelas linhas individuais. A maioria dos imóveis que podem ser financiados pelo programa já se encontram em ruas asfaltadas”, pondera.

De acordo com Olair, em Bauru podem ser financiados imóveis de até R$ 100 mil para famílias com renda de até 10 salários mínimos. O valor do subsidio federal varia conforme a renda familiar e pode chegar a R$ 17 mil, de acordo com a CEF. “Além disso, os imóveis precisam ser novos, com ‘habite-se’ expedido a partir de 26 de março de 2009. E o imóvel também não pode ter sido habitado, nem já ter sido negociado”, explica.

Como a resolução entrou em vigor somente no final da última semana, Olair afirma que ainda não há reclamações na CEF por conta do impedimento. “Acredito que daqui 30 dias poderemos avaliar como a norma influenciou na procura pelo financiamento. Mas não acredito em grandes impedimentos. Até porque, a maioria dos loteamentos aprovados na cidade já saem com pavimentação”, observa.

De acordo com informações da Caixa, em 2010 foram contratados 688 unidades novas enquadradas na modalidade individual do Minha Casa Minha Vida, em bauru e região.

Por: Lígia Ligabue

Fonte: Jornal Cidade de Bauru